10.1.13

Texto: Depois dos Quinze


"Dizem que depois dos quinze tudo muda. Muda? Não sei. Acabei de fazer quinze. Mas será que muda? Será que, para você ter 'cara' de 15 anos você tem que mudar tudo em si mesma? Não pode mais ter seus medos, seus sonhos tem que ser outros? É claro que você precisa amadurecer. Mas todo mundo amadurece toda hora. A cada segundo, a cada experiencia, a cada dia vivido, nós amadurecemos. Aprendemos coisas novas, aperfeiçoamos o que já sabemos. Como disse o Cazuza, 'o tempo não para'. Nem nós paramos. Nós crescemos, acertamos, erramos, caímos, levantamos, nos apaixonamos, vivemos. 'Porque gostar de sentir é gostar de envelhecer'. Mas e tudo o que deixamos para trás? Deixar para trás não significa sempre esquecer, mas é o seu passado. São as coisas que você fazia, vestia e assistia que você não faz, veste nem assiste mais. Mas tudo isso faz parte da nossa história. O que fomos, o que somos e o que seremos fazem parte do livro da vida que só nós mesmos podemos escrever. E cada momento que vivemos é um capítulo desse livro. As vezes, algumas coisas nos fazem lembrar desse livro, e essas são as lembranças. Coisas que vamos lembrar para o resto da vida. Uma cartinha de amor, um presente, uma foto, uma cena... Tudo isso é nosso passado batendo na porta de nossa mente. A vida é curta, mas é longa o bastante para você fazer a diferença. Pode não fazer diferença na vida de todas as pessoas do mundo como alguns fazem, mas sim fazer diferença a si mesmo, e as pessoas ao seu redor. Aprender com elas e ensinar elas. E envelhecer. Ganhar experiencias, conhecimentos... As pessoas de idade não são sábias simplesmente porque são. Elas já passaram por tudo o que você já passou na sua vida e muito mais. Então, depois dos quinze não é uma grande coisa. Você está aprendendo como aos 10, 11, 17, 20, 40... O que nos resta é viver um dia de cada vez, aprendendo sempre a aproveitar todos eles como se fosse o último. E aí, quem sabe, a gente escreve um 'Depois dos 90'? Aposto com vocês que teria umas 10 páginas"

-Isabela Costa, acabou de fazer 15



- Vocês vão se perder de vista, sim. E o tempo para ver os ex-colegas de colégio não vai existir. Os papeis com os telefones que vocês acabaram de anotar vão sumir como que por encanto. Crescer é, de certa forma, se separar das pessoas amadas. […] Vocês vão descobrir, na carne, que sentir, nessa vida, é sentir o tempo indo embora. […] Alguns momentos, algumas coisas, ou pessoas, cheiros, visões, objetos e lembranças, nos põem em contato com o passar do tempo. Tudo o que nos emociona, tudo o que nos toca fundo, é o tempo chegando e indo embora. Se eu pudesse dar um conselho a vocês, eu diria: não queiram nunca ser eternamente jovens; gostar de viver é gostar de sentir, e gostar de sentir é, necessariamente, gostar de envelhecer.

- Lacerda, Rodrigo; O fazedor de velhos
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...